Depois de dois anos de retração, o varejo voltou a crescer. Entre julho de 2016 e o mesmo mês deste ano, o setor teve um aumento de 3,1% no volume de vendas, de acordo com dados do IBGE. Tecnologias contribuem positivamente com toda a cadeia varejista, desde a distribuição até o ponto de venda, ajudando na redução de gastos e na melhoria da gestão de produtos e serviços.

Os varejistas podem contar com soluções para toda a cadeia de vendas: que traçam rotas mais curtas e ágeis para distribuição do produto, que ajudam no controle de estoque e gestão de promoções, que melhoram o condicionamento de produtos nas estantes e gôndolas e ou mesmo que facilitam a vida dos consumidores.

Conheça a seguir algumas soluções aplicadas no varejo em geral e também em algumas redes de franquias que o Portal Sua Franquia reuniu:

Aplicativos

Recentemente, a marca Leve Pizza, pioneira de pizzas pré-assadas, lançou um aplicativo para aumentar as vendas. A novidade, que também pode ser acessada pelo site da marca, permite realizar pedidos normalmente como se o cliente estivesse no balcão, incluindo refrigerantes, combos e todas as opções disponíveis dentro de uma unidade.

“A facilidade e praticidade oferecida aos clientes por meio dos aplicativos é imensurável. A entrega é feita por unidades localizadas próximas ao cliente, mas a retirada pode ser feita em qualquer unidade, estando ela próxima ou não” informa Tiago Azem, diretor executivo da marca.

Já a rede Chama o Seu Zé, voltada para prestação de serviços em assistência emergencial e pequenos reparos, também desenvolveu um aplicativo de celular, no qual a pessoa interessada em contratar os serviços da rede conseguirá ver quais os serviços que estão sendo disponibilizados e uma prévia dos valores, além de pontuar os prestadores.

Esse aplicativo é responsável por representar o grande provocador de demandas da rede. “A proposta é não ser apenas um aplicativo, mas uma cadeia com a missão de bem atender ao público em geral”, comenta o diretor executivo da rede Chama o Seu Zé, Carlos Alexandre Gomes.

Controle logístico

Soluções tecnológicas são essenciais para otimizar operações de entrega e, ciente disso, a empresa de Blumenau HBSIS oferece uma plataforma específica de gestão de entregas que permite o acesso a diversos dados logísticos em tempo real e de forma rápida. “É possível minimizar a perda de mercadorias e o tempo de entrega dos produtos, aumentando a segurança, a qualidade e a eficiência de todo o ciclo logístico”, diz CEO da HBSIS, Humberto Matesco.

Gestão de estoque e de promoções

A Smarket surgiu em 2013 a partir da percepção desses problemas e se propõe a potencializar as promoções e a agilizar a produção de materiais de divulgação. O software desenvolvido pela startup catarinense conecta dados de estoque, validade, preços e estatísticas de venda, resultando na identificação dos produtos mais estratégicos para entrarem em promoção e automatizando a produção de tablóides, por exemplo.

“Queremos levar inteligência ao varejo, de forma acessível. Tornar o varejo brasileiro cada vez mais eficiente e estratégico, utilizando a tecnologia”, ressalta Marcela Graziano, CEO da startup.

Trade marketing

Ter o controle da equipe no ponto de venda, saber se o produto está posicionado conforme foi idealizado e coletar informações de campo são alguns desafios do trade marketing. Para superá-los, algumas empresas do varejo têm apostado em novas tecnologias, como o Agile Promoter, plataforma de gestão para trade marketing desenvolvida pela Involves.

“Estar conectado com a equipe e acompanhar a execução no PDV é fundamental para o bom desempenho do trade marketing”, explica Rodrigo Lamin, diretor e co-fundador da Involves. A solução SaaS é utilizada por mais de 18 mil usuários em diversos países, totalizando 186 clientes, entre eles, a empresa Grupo Technos, detentora das redes de franquias Euro e Touch.

Soluções em nuvem

Empresa de tecnologia para produtos e serviços de vigilância pública, comercial e particular, a Tecvoz, especializada em negócios de CFTV, investiu na ampliação de seu portfólio para registrar crescimento de 25% em seu faturamento em 2017. A principal estratégia da companhia foi apostar em novas ferramentas digitais como IoT e Cloud Computing, que foram usadas na confecção de uma nova linha de produtos, e no desenvolvimento de uma rede de franquias com foco no monitoramento compartilhado, a Vigilância Solidária.

Com soluções em nuvem, a rede Vigilância Solidária, com mais de 300 unidades, integra câmeras de moradores do mesmo bairro e permite que eles acessem as imagens de qualquer dispositivo conectado na web mediante o pagamento de uma mensalidade para o franqueado.

Segundo Ricardo Luiz, gerente de negócios da Tecvoz, o investimento em tecnologias de ponta para produtos e serviços da empresa foi essencial para manter o crescimento do negócio, que não alcançou menos de 15% nos últimos anos. “O mercado de segurança digital está aquecido no Brasil, tendo em vista principalmente os indicadores crescentes de roubos nas diversas cidades do País”, comenta o executivo.

Fonte: Gazeta do Povo

Veja Também

Empresas, é hora de repensar a forma de tributação... Portanto, a tributação com base no lucro presumido incide diretamente sobre a receita, sem importar o montante das despesas, diferentemente da tributa...
Governo ‘fecha o cofre’ e libera menor restituição... O número de beneficiados também despencou. Até outubro de 2012, 10,2 milhões de brasileiros já haviam recebido a restituição. Neste ano, o dinheiro ch...
Entenda como ficou a tributação de remessas ao ext... A incidência do Imposto de Renda não ocorre em todas as remessas ao exterior Com o término do prazo da isenção sobre as remessas ao exterior destin...
As 10 maiores multas da NF-E Por Antonio Sérgio de Oliveira - www.portaldosped.com.br FALTA DE EMISSÃO DO DOCTO. FISCAL MULTA 50% (art. 527, IV do RICMS/SP) falta de em...
5 Dicas sobre Substituição Tributária As regras variam de Estado para Estado, e as multas pelo cálculo ou recolhimento incorretos são consideráveis. A substituição tributária do ICMS é ...
Empresas têm de seguir mais de 3 mil normas tribut... Na opinião de Olenike, a Lei 12.741/12, que obriga os estabelecimentos a informarem os tributos incidentes em produtos e serviços no documento fiscal,...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *