Abrir uma empresa e fazê-la prosperar não é uma tarefa simples em nenhum momento. É uma tarefa que demanda esforço, conhecimento e estratégia. Manter o empreendimento saudável exige que muitas frentes de atuação estejam ativas, e talvez a principal delas seja o gerenciamento de recursos financeiros, ou seja, o dinheiro que entra e sai da empresa.

A inteligência empresarial, o famoso BI (Business Intelligence), é uma das maneiras, na atualidade, de melhor se organizar estrategicamente para a lida com o mercado. O CEO da Varitus Brasil e mestre em Tecnologia, Adão Lopes, explica que o BI engloba o processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios. “E e a contabilidade é uma das ferramentas que mais auxiliam na coleta desses dados”, destaca Lopes.

A contabilidade não é apenas uma maneira de estar em dia com tributos e algumas garantias legais, “ela é vital para a empresa, pois, por meio dela, tem-se acesso a dados primordiais de tomada de decisão”. Conforme o CEO da Varitus, os dados disponibilizados pelo setor contábil e fiscal podem ser os principais subsídios para planejamento de investimentos, planejamento tributário, acesso a crédito, ações de marketing e vendas. “A responsabilidade do contador está na base do processo, a coleta inteligente dos dados que serão usados pela ferramenta de BI”, diz o especialista, embora o profissional contábil possa se envolver, ainda que indiretamente, nos demais processos da gestão empresarial.

Contabilidade – O Business Intelligence prevê coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações. O contador é responsável por todo esse processo?

Adão Lopes – Não todo, embora ele trabalhe na base dos processos e, com isso, acabe permitindo que diversos outros se realizem, ao menos no que diz respeito a dados financeiros. A ferramenta de BI usada pela empresa buscará as informações pertinentes à gestão dentro das fontes apontadas pelo contador, sejam planilhas, internet, data warehouse ou bancos de dados. Assim a responsabilidade do contador está na base do processo, a coleta inteligente dos dados que serão usados pela ferramenta de BI.

Contabilidade – Como a contabilidade pode colaborar no planejamento de investimentos?

Lopes – Como coletora e mineradora de dados fiscais. É possível analisar bem quanto entra e sai da empresa, além de para onde e de onde esse dinheiro vem. O profissional de ter em conta tudo aquilo que será gasto, do que é novo dentro da empresa e ter consciência de tudo que já existe. A contabilidade trabalha com médias de vários meses e anos, e isso dá uma visão interessante do que foi e pode ser investido.

Contabilidade – O planejamento tributário, às vezes, pode dar dores de cabeça. Como fazer com que ele se torne mais eficaz e seguro?

Lopes – A única maneira é através de um acompanhamento de perto. São muitos detalhes, e somente tendo um trabalho maior constante é que se evita a “dor de cabeça” no fim do processo, já que ela veio de erros cometidos no percurso.

Contabilidade – Você diz, ainda, que a contabilidade pode auxiliar no acesso a crédito e em ações de marketing e vendas. De que maneira a contabilidade empresarial colabora com esses pontos estratégicos?

Lopes – Para acesso a crédito, a empresa precisa ter informações precisas para não cometer erros em captar o dinheiro e pagar de forma segura com o fluxo de caixa. Não adianta pegar crédito em um banco e não ter previsões de como pagar a dívida. Além disso, é preciso saber se é mesmo necessário fazer isso, já que o dinheiro pode vir poupando gastos com outras coisas dentro da empresa. Quanto ao marketing, e falando do departamento de vendas de uma empresa, na contabilidade existem informações importantes, como prazo médio para recebimento e capital de giro necessário para obter melhores resultados. É importante ter isso como conhecimento para saber qual o melhor ciclo de novos investimentos em campanhas e quando haverá o retorno.

Contabilidade – Existem ferramentas tecnológicas que ajudam a otimizar o Business Intelligence? Quais são algumas delas?

Lopes – Na internet existem dezenas de fornecedores, inclusive com versões trial e open source. Porém o segredo de uma boa implantação de BI não está na ferramenta, e sim na captação, mineração e exposição dos dados. Se captar lixo, expõe lixo. Se você trabalha com dados irregulares, expõe dados inconsistentes. Portanto, mais do que a ferramenta de BI, o que se precisa é de uma boa consultoria de implantação.

Fonte: Jornal do Comércio

Veja Também

Simples dispensa CND para baixar empresa, mas pres... A recente lei que ampliou a aplicabilidade do Simples — a Lei Complementar 147/2014 — estabeleceu a dispensa da apresentação das certidões negativ...
Confira direitos e deveres na contratação de estag... Segundo a Lei desta modalidade, estágio é um ato educativo supervisionado, que busca preparar os estudantes para o trabalho produtivo e que integra o ...
4 Sinais que nem sempre indicam o crescimento da s... Gilberto Sarfati, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP), explica que, às vezes, empreen...
Holding patrimonial pode contornar imposto sobre g... Uma solução para o contribuinte fugir de mais uma tributação é a constituição de uma holding patrimonial, formada pelo patrimônio do titular dos bens,...
Receita inicia autuações sobre erros no preenchime... Levantamento digital tributário do SLM Advogados apurou erros no preenchimento das informações A Receita Federal já está aplicando multas de até ...
5 erros que fazem o capital de giro de sua empresa... Você sabe a diferença entre capital de giro e fluxo de caixa? O primeiro é o montante de dinheiro que a empresa tem como reserva para sustentar o segu...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *