É quase que impossível administrar uma empresa sem captar recursos de terceiros, entretanto, é de extrema importância mensurarmos o montante desses recursos e principalmente o efeito deles no resultado da empresa.
A “parceria” banco / empresa faz parte da cultura empresarial brasileira, operações de credito são realizadas constantemente e muitas vezes com custos altíssimos que não são bem interpretados pelos empresários (isso é muito comum). Conhecimentos básicos de matemática financeira poderiam com certeza trazer benefícios no momento da captação, porém, o volume de atividades e de “incêndios” para serem apagados no decorrer do dia, impedem a realização de atividades para agregar conhecimentos aos empresários.
Nesse momento a assessoria realizada por profissionais qualificados pode ser considerada um grande benéfico a empresa, pois a orientação das melhores linhas de créditos disponíveis, prazos, apoio na negociação, entre outras operações podem com certeza trazer ganhos a empresa ou mesmo minimizar perdas com as operações financeiras.
Há empresas que atravessam momentos delicados, seja em função da crise que atravessamos e estamos prestes a sair, ou mesmo por outras razões, tem seu endividamento bancário relativamente alto, e essas operações realizadas de forma repetitivamente para manter a “empresa viva” acabam por danificar por completo os resultados da empresa, essa “bola de neve” como é comumente chamada, vai se consolidando ao longo de meses e anos, ate que num determinado momento, faz com que a empresa “quebre” ou tenha que sentar-se a mesa par uma negociação, seja ela administrativamente (que entendo ser a melhor, de menor custo e mais rápida) ou mesmo jurídica, por meio de advogados buscando a Recuperação Judicial, que além de cara financeiramente tem um custo administrativo e emocional altíssimo, além de ter a eficácia contestada por muitos no meio empresarial, visto que a grande maioria das empresas acabam por encerrar suas atividades.
Como evitar todo esse pesadelo?
Não é fácil, mas a solução é acompanhar mensalmente os resultados empresariais de forma profissional, definindo ações para corrigir pontos identificados como graves de forma contundente e procrastinando-os.
O acompanhamento dos resultados empresariais, e nesse caso, o efeito do custo financeiro nesses resultados, devem requerer ações que resultem na reestruturação da empresa, visando equilibrar suas receitas e despesas, com isso minimizar a necessidades de capital de terceiros e com isso diminuindo mensalmente seus efeitos nos resultados.
É de extrema importância que decisões de gestores e diretores empresariais sejam definidas para esse tipo de controle, ações que retardam essa decisão para quando os créditos bancários são cortados, tendem a comprometer o patrimônio empresarial e também dos sócios, além da continuidade da empresa.
Assim como consultamos um médico quando estamos com um sintoma de falta de saúde e os remédios caseiros já não fazem mais efeito, nessa hora uma empresa de Consultoria e Assessoria Empresarial poderá ser sim a melhor alternativa para se iniciar o “tratamento” que pode ser resolvido muito rápido, ou não, dependendo da gravidade em que se encontra o “paciente”.
Vale pensar!!!!

Fonte: www.administradores.com.br

Veja Também

Empresas Poderão Optar pela Desoneração da Folha... As empresas sujeitas à CPRB – Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, poderão, a partir de 01.12.2015, optar ou não por este regime tributá...
Imposto penaliza o resgate antecipado em previdênc... Investidor pessoa física precisa ficar atento aos modelos de tributação do IR antes da aplicação em planos abertos de aposentadoria como VGBL e PGBL ...
Receita Federal alerta empresas sobre falsos fisca... A Receita Federal do Brasil (RFB) alertou, por meio de nota, sobre falsos fiscais que se passam por servidores da RFB para abordar empresas. Essas pes...
A finalidade da empresa holding na proteção patrim... A Lei 12.441, de 2011, abriu possibilidade de constituir uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada sem a necessidade de um sócio Ana Paul...
Veja 6 formas de enganar a Receita no Imposto de R... O contribuinte que coloca informações indevidas na declaração do Imposto de Renda, seja com a intenção de aumentar sua restituição ou de pagar menos i...
Sete sinais de que sua empresa precisa de uma estr... Cerca de 50% das empresas no Brasil pagam mais impostos do que deveriam, segundo estudos da Becomex, uma empresa especializada no gerenciamento integr...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *