Recentemente, a Receita Federal do Brasil divulgou as regras para preenchimento e transmissão da DIRPF 2016, ano-calendário 2015. As principais novidades estão relacionadas ao sistema, que está mais sofisticado e capaz de cruzar ainda mais os dados dos contribuintes.

Este ano, a declaração do Imposto de Renda aproveitará mais elementos da anterior, além dos dados relativos ao CNPJ da fonte pagadora, informações como aplicações financeiras e poupança já virão com o CNPJ preenchido, apenas com os campos dos valores em branco. “A capacidade fiscal está em um grau tão elevado que, em breve, o documento virá totalmente pronto e restará ao cidadão apenas confirmar ou não os dados apresentados”, alerta o presidente do SESCON-SP, Márcio Massao Shimomoto.

Outra inovação do programa gerador do IRPF é um botão único para verificar pendências, gravar e transmitir o documento. Se houver qualquer divergência, o programa não continua o procedimento.

No processo, entre as mudanças anunciadas está a obrigatoriedade de informar o CPF de dependentes com 14 anos, e não mais 16; o contribuinte também não precisará mais detalhar os rendimentos do seu cônjuge, será preciso apenas informar o CPF, uma vez que a Receita Federal já tem acesso às demais informações no banco de dados; já os profissionais autônomos, como médicos, dentistas, advogados e psicólogos, que recebem rendimentos de pessoas físicas terão que informar o CPF dos clientes para os quais prestaram serviços e os rendimentos obtidos especificamente.

Para Shimomoto é necessário também ter consciência da eficiência da inteligência fiscal brasileira. “O suporte da Receita tem crescido gradualmente e o cruzamento de informações permite identificar omissões ou até mesmo fraudes nos documentos”, adverte o líder setorial, ao afirmar a importância de orientação especializada para o preenchimento da declaração.

“O auxílio de uma boa assessoria contábil é cada vez mais relevante no momento da prestação de contas ao Fisco, tanto para se evitar a malha fina como para o cumprimento correto da exigência”, destaca.
“A falta da garantia contábil é uma das grandes causadoras de autuações, especialmente nas declarações com maior número de eventos. O profissional da contabilidade, além de ser o principal canal de ligação entre a empresa e o Fisco, domina amplamente o assunto e pode evitar que o contribuinte cometa erros”, salienta o presidente do SESCON-SP.

Estão obrigadas a declarar todas as pessoas físicas residentes no Brasil que, no ano-calendário de 2015, receberam rendimentos de valor superior a R$ 28.123,91; receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil; que possuíam bens ou direitos no valor superior a R$ 300 mil, dentre outras previsões legais.

O contribuinte que perder o prazo de entrega fica sujeito à multa de, no mínimo, R$ 165,74 e, no máximo, 20% do imposto de renda devido.

A expectativa da Receita é de que 28,5 milhões de declarações sejam entregues.

(Redação – Agência IN)

Veja Também

Nova Lei Trabalhista: tudo o que os empreendedores... Recentemente o congresso aprovou uma ampla reforma trabalhista. As mudanças foram sancionadas pelo presidente Michel Temer no último dia 13 de julho, ...
Contribuinte pode destinar parte do imposto de ren... Ainda há tempo para doar parte do imposto devido a entidades sociais. A Campanha Legal que prevê a destinação de parte do Imposto de Renda a progr...
Em busca do parceiro ideal: sua empresa precisa de... Ele pode trazer recursos e experiência e apoiar o empreendedor a superar suas fraquezas. Mas é preciso cuidado. Saiba o que levar em consideração ao e...
MEI que não fizer declaração anual pode ser cancel... Prazo para cumprir a obrigação termina em 31 de maio; depois disso, empresa fica sujeita a multa Os microempreendedores individuais (MEIs) do país ...
Empresa devem atender à gestão da nota fiscal elet... A nota fiscal deixou de ser um simples pedaço de papel que recebemos quando uma compra é realizada ou para saber o quanto de imposto está atrelado...
DMED: Quem deve declarar? Na Dmed dos prestadores de serviços de saúde tem que conter o número do Cadastro de Pessoa Física - CPF, o nome completo do responsável pelo pagamento...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *