Um levantamento do Sebrae apontou que empresas aderentes ao Simples Nacional, regime tributário para organizações de receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões, têm taxas de sobrevivência em dois anos bem superiores às que recolhem tributos via lucro real ou presumido.

Entre as empresas do Simples, 83% chegam ao segundo ano de vida, contra 38% das que recolhem nos outros dois modelos, destinados a organizações cujo faturamento supera o limite do regime simplificado, por exemplo.

A pesquisa foi feita entre setembro e novembro de 2016 com 6.023 empresas de todo o país, no setores de indústria, comércio e serviços.

Para o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, o regime ajuda porque permite o pagamento de impostos federais, estaduais e municipais em uma só guia.

Em 2018, a faixa de receita que permite a adesão ao Simples Nacional subirá para R$ 4,8 milhões anuais.

Mas nem sempre o modelo simples é a melhor alternativa para a pequena empresa.

“O sistema de lucro presumido pode ser vantajoso para quem tem margens maiores e folha salarial de menor porte”, aponta Douglas Mota, sócio da área tributária do Demarest Advogados.

Fornecedores de serviços intelectuais, como médicos, arquitetos e engenheiros, e os setores de comércio e indústria podem ter que pagar uma alíquota maior no Simples, diz Rogério Pires, sócio da área tributária do Boccuzzi Advogados. Nesse caso, vale adotar o lucro presumido.

A taxa de sucesso das empresas do Simples estaria atrelada ao fato de que tratam-se de organizações com investimento menor.

“Uma vez que a empresa cresce, a tendência é que seus riscos também aumentem, e isso se reflete nas suas chances de sucesso posterior”, afirma Pires, do Bocuzzi.

Fonte: Folha de São Paulo

Veja Também

Confira 10 erros que podem comprometer a relação c... É preciso cuidado para que intimidade não extrapole os limites e prejudique a convivência e o crescimento profissional A relação com o chefe merece...
Lançado o Programa de Recuperação Previdenciária d... Portaria PGFN 1.302/2015 Através da Portaria PGFN 1.302/2015 foi lançado o Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos (Redo...
Emissor gratuito de NF-e e CT-e têm os dias contad... A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz) informou, nessa última segunda-feira (18), que irá descontinuar a última versão dos seus emisso...
Empregada que figurava como sócia minoritária cons... Empregada que figurava como sócia minoritária consegue reconhecimento da relação de emprego Uma fraude comum é a inclusão de empregado como sócio da ...
STF: ICMS pode sair da base do PIS/CONFINS Supremo está perto de decidir de maneira favorável ao contribuinte ação com repercussão geral que terá impacto negativo de R$ 250 bilhões às contas pú...
Redução de custos é a palavra-chave para os empres... O empresário no Brasil passa por momentos bem complicados. Além de ter de enfrentar uma retração em diversos segmentos que fazem os lucros diminuírem,...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta