Um dos princípios da arquitetura é ter o ser humano como escala para tudo o que é fabricado, porém existem as diferenças inerentes de pessoa para pessoa em que os equipamentos por elas usados devem ser adaptados para proporcionar maior desempenho durante as suas atividades. Só que ainda existem no nosso meio, Empresas que não despertaram para esta possibilidade e obrigam seus colaboradores a trabalharem de forma sacrificada para terminar uma tarefa. Um exemplo bem simples e que vemos no nosso dia a dia é a falta de postura corporal de muitas pessoas que trabalham como caixas de banco ou de lojas e que independente de suas estaturas, são obrigadas a trabalharem com equipamentos que não se encaixam ao seu perfil. As Empresas devem dar condições adequadas às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser realizado.

Outro caso comum e que vemos diariamente é o esforço excessivo e repetitivo de muitos trabalhadores, principalmente no que tange ao levantamento, transporte e descarga de materiais. De acordo com a Norma Regulamentadora 17 (NR17), transporte manual de cargas é todo transporte no qual o peso da carga é suportado inteiramente por um só trabalhador, compreendendo o levantamento e a disposição da carga, sendo assim, não será admitido o transporte manual de cargas por um trabalhador cujo peso seja suscetível de comprometer sua saúde e sua segurança, ou seja, essa tarefa deverá ser executada de forma que o esforço físico seja compatível com a sua capacidade de força. Ao contrário disso, nós estamos vendo e convivendo dia a dia com exemplos de empresas que sobrecarregam seus colaboradores com sobrepesos que chegam ao limite da exaustão. Outras ultrapassam limites de horas trabalhadas, preenchendo física e psicologicamente todos os espaços dos seus colaboradores, deixando-os sem tempo para outras atividades em suas vidas, inclusive mais tempo com sua família.

A qualidade de vida do trabalhador está diretamente ligada a sua atividade dentro da empresa e uma boa prática ergométrica permite a seu funcionário maior conforto e produtividade. Converse com seu colaborador, pergunte como está seu grau de satisfação, identifique as suas necessidades e trate-as de preenchê-las da melhor forma possível, afinal, um bom funcionário é o seu investimento a longo prazo. Essa é uma tendência das Empresas organizadas. A pergunta é mesmo essa: Ergonomia, a sua Empresa pratica?

Fonte: Infomoney

Veja Também

Desoneração da folha de pagamento será permanente,... Política que beneficia 56 setores será renovada, mas governo não atendeu ao pedido dos empresários de incluir novas áreas ainda esse ano BRASÍLIA -...
Como evitar que os trabalhadores percam tempo na i... Um grupo de pesquisadores afirma ter encontrado uma forma de limitar o tempo que os trabalhadores passam navegando no Facebook e vendo vídeos de gatos...
Parcelamento extraordinário no Estado de São Paulo... I - em parcela única, com redução de 75% (setenta e cinco por cento) do valor atualizado das multas punitiva e moratória e de 60% (sessenta por cento)...
eSocial aumenta o risco de multas para as empresas Criado para simplificar e informatizar as informações contábeis fiscais, e contribuir para a modernização da fiscalização e transparência trabalhista ...
CTPS digital entra em vigor a partir de janeiro de... A partir de 1º de janeiro de 2015, passa a valer, em todos os estados da federação, a carteira de trabalho digital. Entre as vantagens aos cidadãos, d...
HORAS EXTRAS FOI O PRINCIPAL TEMA DAS AÇÕES TRABAL... A compensação de horas através de acordo individual trazida pela reforma flexibilizará a compensação de horas e como consequência diminuirá a incidên...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta