Pretende abrir uma empresa, mas não sabe se antes a atividade exige alvará de funcionamento?

Governo divulga lista de atividades de baixo risco que não precisam de alvará de funcionamento para iniciar operação.

Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios – CGSIM publicou no Diário Oficial da União do dia 12/06, lista de atividades livres de alvarás de funcionamento.

A lista consta da Resolução nº 51, de 11 de 2019, que versa sobre a definição de atividade de baixo risco para os fins da Medida Provisória nº 881, de 30 de abril de 2019.

Esta Resolução visa definir o conceito de baixo risco para fins da dispensa de exigência de atos públicos de liberação para operação ou funcionamento de atividade econômica, conforme estabelecido no art. 3º, inciso I, da Medida Provisória nº 881, de 30 de abril de 2019.

A dispensa de atos públicos de liberação da atividade econômica não exime as pessoas naturais e jurídicas do dever de se observar as demais obrigações estabelecidas pela legislação.

Para fins de padronização de redação, passam a ser denominados pelo CGSIM como:

I – baixo risco ou “baixo risco A”: a classificação de atividades para os fins do art. 3º, § 2º, inciso II, da Medida Provisória nº 881, de 30 de abril de 2019, cujo efeito específico e exclusivo é dispensar a necessidade de todos os atos públicos de liberação da atividade econômica para plena e contínua operação e funcionamento do estabelecimento;

II – médio risco ou “baixo risco B”: a classificação de atividades cujo grau de risco não seja considerado alto e que não se enquadrem no conceito de baixo risco ou “baixo risco A” do inciso I deste artigo, cujo efeito é permitir, automaticamente após o ato do registro, a emissão de licenças, alvarás e similares de caráter provisório para início da operação do estabelecimento, conforme previsto no art. 7º, caput, da Lei Complementar nº 123, de 14 de novembro de 2006, e no art. 6º, caput, da Lei nº 11.598, de 3 dezembro de 2007; e

III – alto risco: aquelas assim definidas por outras resoluções do CGSIM e pelos respectivos entes competentes, em atendimento aos requisitos de segurança sanitária, metrologia, controle ambiental e prevenção contra incêndios.

De acordo com a Resolução 51, as atividades de baixo risco ou “baixo risco A”,  não comportam vistoria para o exercício contínuo e regular da atividade, estando tão somente sujeitas à fiscalização de devido enquadramento posterior nos termos do art. 3º, § 3º da Medida Provisória nº 881, de 30 de abril de 2019.

Já as atividades de médio risco ou “baixo risco B”, comportam vistoria posterior para o exercício contínuo e regular da atividade.

Já as atividades de médio risco ou “baixo risco B”, comportam vistoria posterior para o exercício contínuo e regular da atividade.

E as atividades de alto risco, nos termos do art. 2º, inciso III, desta Resolução exigirão vistoria prévia para início da operação do estabelecimento.

Quer saber quais são as atividades de baixo risco, que dispensa a necessidade de todos os atos públicos de liberação da atividade e que somente estão sujeitas à fiscalização devido a enquadramento posterior?

Confira quais são as atividades livres de alvarás de funcionamento:


Lista completa consulte DOU de 12/06, paginas 31, 32, 33 e 34 da Seção 1:

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=12/06/2019&jornal=515&pagina=31&totalArquivos=150

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=12/06/2019&jornal=515&pagina=32&totalArquivos=150

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=12/06/2019&jornal=515&pagina=33&totalArquivos=150

http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=12/06/2019&jornal=515&pagina=34&totalArquivos=150

Fonte: Sigaofisco

clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui
clique aqui

Veja Também

CEST: obrigatório a partir de 01/10/2016 O Convênio ICMS 53/2016 alterou o Convênio ICMS 92/2015, que estabelece sistemática de uniformização e identificação das mercadorias e bens passíveis ...
Sociedades em Conta de Participação na mira do Fis... A Sociedade em Contas de Participação (SCP) é uma forma corporativa não personificada, amparada pelos artigos 991 a 996 do Código Civil Brasileiro (Le...
Empregador doméstico: Receita ajusta programa que ... Agora o contribuinte pode gerar a GPS diretamente na página da Receita Federal na internet A Receita Federal informa que já está disponível a atualiz...
Comitê Gestor aprova resolução que regulamenta o p... transferidos para inscrição em dívida ativa estadual, distrital ou municipal, quando houver convênio com a PGFN nos termos do § 3º do art. 41 da LC 12...
Expediente mais curto diminui ou aumenta sua produ... Longas horas de labuta estão associadas a efeitos agudos de fadiga, como sonolência e desatenção Reduzir a jornada de trabalho não reduz em igual m...
Destinação Solidária do IR O período de prestar contas com a Receita Federal do Brasil (RFB) chegou. O que muita gente não sabe é que parte do Imposto de Renda (IR) devido pode ...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta