Direitos já garantidos

Novos direitos

Direitos que dependem de Regulamentação

Salário mínimo/ Regional

Jornada de 44 horas semanais e 08 horas diárias

Adicional noturno

Integração a Previdência Social (recolhimento do INSS)

Recebimento de horas extras com adicional de 50%

Obrigatoriedade do FGTS

01 dia de repouso remunerado (folga) por semana, preferencialmente aos domingos.

Hora extra no máximo de 02 horas diárias

Seguro Desemprego

Férias anuais remuneradas

Horário de almoço de no mínimo 01 e no máximo 02 horas

Salário família

13º salário

Redução dos riscos do trabalho por meio de normas de higiene, saúde e segurança.

Auxilio Creche e pré-escola

Aposentadoria

Seguro contra acidentes de trabalho

Irredutibilidade dos salários

Indenização em caso de dispensa sem justa causa

Licença gestante

Licença paternidade

Aviso Prévio

FGTS (facultativo)

Seguro Desemprego por 03 meses caso seja recolhido o FGTS

Vale transporte

Veja Também

Informatizar MPEs garante competitividade e produt... Para garantir eficiência no negócio, abusar da tecnologia, da boa gestão e principalmente da informatização podem garantir mais sucesso e qualidade pa...
NF-e – A partir de julho de 2016 novos campo... Serão rejeitados os arquivos da NF-e que apresentarem inconsistências entre a alíquota aplicada à operação e o Código de origem da mercadoria. ...
ICMS e IPI: Doação de Bens ou Mercadorias é Tribut... Doação é a transferência gratuita de um bem, móvel ou imóvel, direito ou valor pertencente ao patrimônio de uma pessoa para o patrimônio de outra pess...
Empresa é obrigada a recolher contribuição previde... “A contribuição social a cargo do empregador incide sobre ganhos habituais do empregado, quer anteriores ou posteriores à Emenda Constitucional 20/199...
Hora de se preparar para a declaração do IRPF 2018... Em 1º de março começou o prazo para entrega da declaração do IRPF 2018 e quanto antes os contribuintes estiverem preparados, melhor. Este ano, algumas...
ICMS – DIFAL DA EC 87/2015: Quem ganha e quem perd... Com o fim da partilha a partir de 2019, quem ganha e quem perde? Em 2016 com a entrada em vigor do Diferencial de Alíquotas da EC 87/2015 muitas em...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *