De acordo com Lucia, tudo começa com o fato de que, em nossa cultura, a maioria dos gestores, líderes ou chefes assume essa função por exercerem muito bem seus papéis técnicos anteriores. “O vendedor que se destaca torna-se o gerente da loja, por exemplo. Mas ele tem conhecimento em vendas e não em gerenciar pessoas, aí está o erro. Mais do que o conhecimento técnico é preciso ter posicionamento de líder para obter sucesso na gestão”.

A gerente de desenvolvimento destaca sete atitudes essenciais a serem adotadas imediatamente para obter os resultados esperados da equipe, ser respeitado e admirado como um verdadeiro líder:

1 – Olhe para seus colaboradores como seres humanos e suas particularidades. Pessoas são diferentes umas das outras, têm necessidades e respondem aos estímulos de formas diferentes. É necessário estar atento às suas peculiaridades e agir de acordo com o que cada um precisa para atingir os melhores resultados;

2 – Dê o exemplo. Os grandes líderes baseiam suas atitudes em um exemplo sólido de conduta e respeito, agindo de acordo com o que espera de seus liderados e sendo o primeiro a pôr a mão na massa quando necessário;

3 – Dê feedback. Mantenha sua equipe informada do que estão fazendo bem e o que precisam melhorar em suas atividades, atitudes e comportamentos, deixando claras suas expectativas e da organização em relação aos resultados, além de como atingi-los.

4 – Transmita segurança e confiança. O verdadeiro líder age de forma condizente com o seu discurso, ou seja, faz exatamente o que fala. A equipe sabe o que esperar dele em cada situação e sabe que ele estará ao lado de cada um sempre que houver necessidade;

5 – Envolva a equipe nas decisões e soluções de problemas. Não é porque alguém é líder que precisa tomar todas as decisões sozinho. Quem sabe e vive a realidade da operação são os colaboradores. Eles devem ser ouvidos e envolvidos nas soluções das questões, mesmo que não se possa fazer exatamente o que os colaboradores sugerem. É necessário ouvi-los e mantê-los informados do porquê de cada ação;

6 – Conheça e estimule o uso das habilidades de cada um. É preciso saber o que cada colaborador tem a contribuir e ampliar o uso dessas habilidades individuais. Agindo assim, a equipe é estimulada e alcança resultados melhores;

7 – Utilize as diferenças em benefício da equipe. As diferenças podem ser usadas como oportunidades para o crescimento da equipe e para o desenvolvimento individual. Seja coerente e sincero, liderar será uma jornada desafiadora e excitante de aprendizados e realizações.

Fonte: Canal Executivo

Veja Também

Como as empresas podem obter benefícios fiscais in... Tratam-se de importantes instrumentos utilizados pelos governos para estimular o investimento, crescimento ou a geração de empregos em um determinad...
RECEITA FEDERAL INVESTIGA AUMENTO DE PEJOTIZAÇÃO N... Operação da Receita Federal de pejotização visa garantir a correta arrecadação de tributos pelos contribuintes. Um levantamento realizado pela Rev...
PGFN passa a checar débitos suspensos para emitir ... O sistema eletrônico do órgão já foi adaptado, segundo o chefe da Procuradoria da Fazenda Nacional em Minas Gerais, Túlio de Medeiros Garcia. “A regra...
PORQUE O E-SOCIAL NÃO VAI ACABAR Com o lançamento da GFIP em Janeiro de 1999 e com a consequente obrigatoriedade de utilização do programa SEFIP, a promessa era de que a no...
O que é caixa 2 nas empresas e qual a importância ... O caixa 2 nas empresas é um tema muito debatido na mídia, nas redes sociais e outros meios de comunicação. Vemos que muitas empresas espalhadas pelo B...
Microempreendedor tem até maio para enviar declara... A técnica lembra que o Sebrae não é um órgão fiscalizador, mas orientador. “Quando um MEI busca esse serviço, podemos também orientá-lo em outros aspe...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta