“O plano de negócio é uma ferramenta que ajuda os empresários a pensar em alguns fatores. Estes dados darão base para que o empreendedor possa viabilizar o seu negócio. Para abrir uma empresa, não basta ter coragem e dinheiro”, afirma Diniz.

Plano evita erros no mercado

Em suma, o plano de negócio pode ser explicado como um documento que descreve os objetivos da empresa e quais passos devem ser dados para que as metas sejam alcançadas. A principal vantagem é que o plano permite identificar e restringir os erros no papel, em vez de cometê-los no mercado.

Com o plano de negócio finalizado em mãos, o empresário, além de ter uma ferramenta que irá orientá-lo de maneira segura, poderá utilizá-lo para solicitar empréstimos, conquistar clientes, investidores, firmar parcerias com fornecedores e até mesmo com sócios.

Informações detalhadas

Sobre as informações que devem ser descritas, o Sebrae aconselha que o empreendedor procure pesquisar tudo sobre o seu setor. Estes dados podem ser encontrados em veículos de comunicação, associações, feiras, cursos ou até mesmo com outros empresários do ramo e fornecedores potenciais.

De acordo com Diniz, para montar o plano de negócios, o empreendedor deve pensar em seus clientes, público-alvo, localização, concorrentes, fornecedores, investimento inicial, formação de sociedade, preços, despesas, fluxo do dinheiro, funcionários a serem contratados e demais recursos necessários. Estas informações devem ser detalhadas.

Estrutura do plano

De acordo com o Sebrae-SP, o plano de negócio é composto de oito seções, que serão desenvolvidas e estimadas baseadas em informações pesquisas anteriormente.

* Sumário Executivo: é a primeira parte que será lida por um eventual investidor. Deve conter os pontos principais e mais interessantes do plano. Não costuma ter mais de uma página;
* Descrição da Empresa: contém um sumário da empresa, seu modelo de negócio, a natureza, estrutura legal, localização, objetivos, estratégias e missão. De uma a duas páginas.
* Produtos e Serviços: descrição dos produtos e serviços da empresa, suas características, forma de uso e especificações. Máximo de duas páginas;
* Estrutura Organizacional: como a empresa está organizada internamente, número de funcionários, principais posições, perfil do profissional. Máximo de duas páginas;
* Plano de Marketing: Aqui será descrito o setor, o mercado, as tendências, a forma de comercialização, distribuição e divulgação dos produtos, preços, concorrentes e vantagens competitivas. De cinco a seis páginas;
* Plano Operacional: descrição do fluxo operacional, cadeia de suprimentos, controle de qualidade, serviços associados, capacidade produtiva, logística e sistemas de gestão. De três a quatro páginas;
* Estrutura de Capitalização: como a empresa está capitalizada. Quem faz parte da sociedade, necessidades de capital de terceiro, forma de remuneração e estratégias de saída. De duas a três páginas;
* Plano Financeiro: como a empresa se comportará ao longo do tempo do ponto de vista financeiro, descrições e cenários, pressupostos críticos, situação histórica, fluxo de caixa, análise do investimento, demonstrativo de resultados, projeções de balanços e outros indicadores. De cinco a seis páginas.

As informações de um plano de negócio devem ser precisas, mas transmitindo uma sensação de otimismo e entusiasmo. Ao preencher o plano, tenha sempre em mente o objetivo para o qual ele está sendo escrito. Os empresários que apresentarem dúvidas podem acessar a página do Sebrae-SP (www.sebraesp.com.br) ou procurar o Sebrae de seu estado.

 

Fonte: InfoMoney

Veja Também

O mercado está nervoso. Qual é a melhor estratégia... Renda fixa oferece boa rentabilidade, mas diversificar é necessário Brasil perde grau de investimento, a taxa básica de juros está muito alta, ...
Receita Federal divulga novidades para quem quer v... Notebooks, tablets e filmadoras entram na cota. As pessoas podem trazer, mas entra no cota de US$ 500. Não é mais necessário declarar o que é levado: ...
Microempreendedor vai pagar 50% menos de contribui... Para Luiz Barreto, presidente do Sebrae, a redução da alíquota mostra que o governo federal "sabe da importância desses profissionais para a economia ...
Receita irá excluir empresas com débitos do Simple... A Receita Federal do Brasil informou recentemente que, a partir deste mês de setembro, irá notificar as empresas do Simples Nacional que possuem débit...
PIS e COFINS: Veja os Créditos Admissíveis A sistemática do PIS e COFINS não cumulativos possibilita ao contribuinte o direito de apropriar créditos sobre determinados bens, insumos, custos e d...
Boleto do empreendedor individual não será mais en... O microempreendedor individual (MEI) não receberá mais em casa o boleto mensal para realizar o pagamento dos seus tributos, informou o Serviço Brasile...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta