Segundo a Receita, a ferramenta da autorregularização permite ao contribuinte acompanhar o processamento da sua declaração de imposto de renda, verificar a existência de pendências e corrigir eventuais dados incorretos. Tudo isso pode ser feito pelo próprio contribuinte e sem a necessidade de se deslocar a uma unidade de atendimento.

“Essa é uma ferramenta bastante útil disponibilizada pela Receita, pois permite que o contribuinte corrija eventuais erros antes de ser chamado pelo órgão a prestar contas”, afirma o consultor de IR do DeclareCerto IOB, Edino Garcia. “A autorregularização facilita o lado da Receita e também do contribuinte, pois reduz o número de pessoas em malha”, completa.

Autorregularização

O primeiro passo para a autorregularização é entrar no site da Receita, fazer o cadastro no e-CAC e acessar o Extrato Simplificado do IRPF, na opção Declaração IRPF.

O segundo passo, caso haja pendência, é correr atrás para solucioná-la, por meio de uma declaração retificadora com os dados corrigidos.

De acordo com Garcia, no entanto, é importante destacar que não é possível fazer a autorregularização caso o contribuinte já tenha sido intimado pela Receita. “Não é possível fazer a retificação da declaração após início de procedimento de ofício”, afirma.

Erros mais comuns

Qualquer inconsistência nos dados declarados é suficiente para chamar a atenção do Fisco. Por exemplo, você não informou a renda de um aluguel que recebe mensalmente, mas a imobiliária declarou à Receita – porque ela é obrigada a entregar uma declaração específica ao órgão -, informando que existe um imóvel ligado ao seu CPF e que está alugado para alguém.

Este motivo correspondeu a 53% das declarações retidas em malha fina em 2010. Em seguida, estava a compensação indevida de Imposto de Renda retido na fonte, causa para 17% dos contribuintes caírem na malha. Erros referentes à declaração de despesas médicas foram responsáveis por 9,5% dos casos.

“A correção não garante que a declaração será liberada logo no próximo lote, já que os novos dados também passarão pela confirmação da Receita. Assim, vale sempre ficar de olho no extrato para verificar possíveis inconsistências”, finaliza Edino Garcia.

Fonte: Infomoney
15/07/2011

Veja Também

5 ilusões que você deve esquecer sobre abrir o pró... Não faltam histórias de empreendedores que fecharam as portas, ou perderam dinheiro antes mesmo de ver o negócio decolar. Por isso, vale a pena ouvir ...
Veja os pontos sensíveis da reforma trabalhista O parecer do relator da reforma trabalhista, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), diz que a possibilidade de jornada de trabalho de 12 horas com descanso em seg...
Contribuinte pode pedir emissão de CPF de graça pe... O serviço é gratuito e está disponível 24 horas por dia, inclusive nos sábados, domingos e feriados. De acordo com a Receita, 500 mil pessoas físicas ...
Testemunhos contraditórios afastam vínculo emprega... Trabalhador que prestou serviços de reforma para uma rede de lojas requereu judicialmente vínculo empregatício com a varejista. Porém, de acordo com ...
Novo regime especial é a opção para micro e pequen... Sessão no Senado aponta que a crise atinge os negócios menores, que ainda mantém um saldo positivo de 104 mil vagas criadas neste ano contra perda de ...
IRPF 2014: 6 passos para se livrar da declaração d... O Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP) listou as principais providências que você já pode tomar para não deixar nada par...

Deixe uma resposta