Segundo a Receita, a ferramenta da autorregularização permite ao contribuinte acompanhar o processamento da sua declaração de imposto de renda, verificar a existência de pendências e corrigir eventuais dados incorretos. Tudo isso pode ser feito pelo próprio contribuinte e sem a necessidade de se deslocar a uma unidade de atendimento.

“Essa é uma ferramenta bastante útil disponibilizada pela Receita, pois permite que o contribuinte corrija eventuais erros antes de ser chamado pelo órgão a prestar contas”, afirma o consultor de IR do DeclareCerto IOB, Edino Garcia. “A autorregularização facilita o lado da Receita e também do contribuinte, pois reduz o número de pessoas em malha”, completa.

Autorregularização

O primeiro passo para a autorregularização é entrar no site da Receita, fazer o cadastro no e-CAC e acessar o Extrato Simplificado do IRPF, na opção Declaração IRPF.

O segundo passo, caso haja pendência, é correr atrás para solucioná-la, por meio de uma declaração retificadora com os dados corrigidos.

De acordo com Garcia, no entanto, é importante destacar que não é possível fazer a autorregularização caso o contribuinte já tenha sido intimado pela Receita. “Não é possível fazer a retificação da declaração após início de procedimento de ofício”, afirma.

Erros mais comuns

Qualquer inconsistência nos dados declarados é suficiente para chamar a atenção do Fisco. Por exemplo, você não informou a renda de um aluguel que recebe mensalmente, mas a imobiliária declarou à Receita – porque ela é obrigada a entregar uma declaração específica ao órgão -, informando que existe um imóvel ligado ao seu CPF e que está alugado para alguém.

Este motivo correspondeu a 53% das declarações retidas em malha fina em 2010. Em seguida, estava a compensação indevida de Imposto de Renda retido na fonte, causa para 17% dos contribuintes caírem na malha. Erros referentes à declaração de despesas médicas foram responsáveis por 9,5% dos casos.

“A correção não garante que a declaração será liberada logo no próximo lote, já que os novos dados também passarão pela confirmação da Receita. Assim, vale sempre ficar de olho no extrato para verificar possíveis inconsistências”, finaliza Edino Garcia.

Fonte: Infomoney
15/07/2011

Veja Também

Como manter uma sociedade com amigos ou parentes Para evitar problemas, contrato prévio deve detalhar divisão de responsabilidades e dinheiro Um sócio pode facilitar, e muito, a vida de um empreen...
SP eliminará emissor de nota fiscal eletrônica gra... A partir de janeiro, não será mais possível utilizar o emissor da Sefaz/SP e, com a intenção de auxiliar as empresas, o SESCON-SP deve firmar parceria...
Você participa efetivamente de uma equipe de traba... Integra um conjunto de pessoas que atuam em sinergia ou contribui somente para o resultado final com o esforço individual de cada um por si em busca d...
Estados querem aumentar alíquota de imposto sobre ... O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), órgão que reúne os secretários estaduais de Fazenda do país, decidiu hoje (20) propor elevação da...
Nota Fiscal Eletrônica 4.0 – Veja as Mudança... O preenchimento incorreto da NF-e gerará rejeição da nota e isso poderá causar problemas futuros para a empresa. Fique atento as alterações na hora do...
SENTENÇA EXCLUI ICMS DO CÁLCULO DO PIS E DA COFINS... A disputa do PIS-Cofins Importação, que se arrastava desde 2004, foi finalizada em março. Em um rápido julgamento, os ministros, por unanimidade, fora...

Deixe uma resposta