Toda transição é complexa, mas, se bem conduzida, pode tornar a empresa ainda mais bem sucedida

Realizar uma sucessão em qualquer empresa é um grande desafio, especialmente se a empresa for familiar. Estatísticas mostram que apenas 5% das empresas familiares conseguem chegar à terceira geração.

Muitas vezes, os profissionais construíram a empresa, implantaram os projetos, viram os resultados e, por isso, sentem uma enorme dificuldade em fazer a transição, seja para membros da família, profissionais do mercado ou talentos da própria organização. Esse ‘apego’ cria barreiras difíceis de serem ultrapassadas.

Confira algumas dicas de como preparar uma sucessão sem traumas.

Planeje com muita antecedência
Não espere ficar cansado ou aparecerem novas oportunidades de trabalho para planejar sua saída. Uma boa sucessão começa a ser preparada com, no mínimo, 10 anos de antecedência, observando quem da família ou dos funcionários realmente tem aptidão para o cargo.

Treine os candidatos
Capacite ao máximo os candidatos à sucessão. Essa capacitação deve ser dada por meio de treinamentos formais, como graduação, pós-graduação, cursos in company ou informais e pela experiência de atuação em diferentes cargos e funções.

Analise as aptidões
Será fundamental que você analise não só os resultados que cada candidato obtém, mas também seus comportamentos no dia a dia. Estilo de liderança, postura diante de conflitos e flexibilidade para resolver problemas serão ótimos indicativos.

Evite conflitos desnecessários
A sucessão é uma corrida de obstáculos, não uma guerra. Deixe claro aos candidatos que não serão toleradas brigas pelo poder e, quando houver discussões, é preciso mediar e intervir para que não se transformem em conflitos irreconciliáveis.

Comece a delegar
Para conseguir passar o poder sem traumas e com baixo risco, comece a delegar cada vez mais funções importantes às pessoas mais qualificadas. Isso servirá como um teste, tanto para eles quanto para você. Bons resultados significam que você está no caminho certo.

Defina o sucessor
Se tudo correr bem, um ano antes de sua saída, eleja o sucessor oficialmente e passe aos poucos todas as suas incumbências e, onde houver dificuldades, acompanhe com mais intensidade.

Toda transição é complexa, mas, se bem conduzida, pode tornar a empresa ainda mais bem sucedida.

Fonte: www.exame.abril.com.br

Veja Também

eSocial: Prorrogada início da segunda fase de impl... Primeira fase, que terminaria em agosto, será estendida até setembro. Segunda fase iniciará em 10 de outubro. Após ouvir as empresas com faturame...
O desafio do eSocial para organizações contábeis... Os objetivos do eSocial são viabilizar a garantia dos direitos trabalhistas e previdenciários, simplificar o cumprimento das obrigações e aprimorar a ...
Exija Nota Fiscal de Serviços e faça retenção de t... Há os casos de profissionais autônomos que não emitem Nota Fiscal de Serviços, porém devem fornecer o RPA (Recibo de Pagamento a Autônomo) ou RPS (Re...
Empresas mostram que é possível montar um negócio ... Ideias criativas e promissoras, aliadas a confiança, planejamento e persistência, podem compensar o orçamento escasso na hora de transformar os sonhos...
Limite para ICMS no Simples vai beneficiar 80% das... Abnor Gondim Cerca de 80% das micro e pequenas empresas do País serão beneficiadas a partir de 2015, com a provável eliminação da substituição tri...
GERENTE – COMO APROVEITAR MELHOR SEU TEMPO Os quatro primeiros recursos podem ser manipulados pelo homem, uma vez que o capital poderá ser aumentado, gasto ou mantido; recursos humanos podem se...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta