Toda transição é complexa, mas, se bem conduzida, pode tornar a empresa ainda mais bem sucedida

Realizar uma sucessão em qualquer empresa é um grande desafio, especialmente se a empresa for familiar. Estatísticas mostram que apenas 5% das empresas familiares conseguem chegar à terceira geração.

Muitas vezes, os profissionais construíram a empresa, implantaram os projetos, viram os resultados e, por isso, sentem uma enorme dificuldade em fazer a transição, seja para membros da família, profissionais do mercado ou talentos da própria organização. Esse ‘apego’ cria barreiras difíceis de serem ultrapassadas.

Confira algumas dicas de como preparar uma sucessão sem traumas.

Planeje com muita antecedência
Não espere ficar cansado ou aparecerem novas oportunidades de trabalho para planejar sua saída. Uma boa sucessão começa a ser preparada com, no mínimo, 10 anos de antecedência, observando quem da família ou dos funcionários realmente tem aptidão para o cargo.

Treine os candidatos
Capacite ao máximo os candidatos à sucessão. Essa capacitação deve ser dada por meio de treinamentos formais, como graduação, pós-graduação, cursos in company ou informais e pela experiência de atuação em diferentes cargos e funções.

Analise as aptidões
Será fundamental que você analise não só os resultados que cada candidato obtém, mas também seus comportamentos no dia a dia. Estilo de liderança, postura diante de conflitos e flexibilidade para resolver problemas serão ótimos indicativos.

Evite conflitos desnecessários
A sucessão é uma corrida de obstáculos, não uma guerra. Deixe claro aos candidatos que não serão toleradas brigas pelo poder e, quando houver discussões, é preciso mediar e intervir para que não se transformem em conflitos irreconciliáveis.

Comece a delegar
Para conseguir passar o poder sem traumas e com baixo risco, comece a delegar cada vez mais funções importantes às pessoas mais qualificadas. Isso servirá como um teste, tanto para eles quanto para você. Bons resultados significam que você está no caminho certo.

Defina o sucessor
Se tudo correr bem, um ano antes de sua saída, eleja o sucessor oficialmente e passe aos poucos todas as suas incumbências e, onde houver dificuldades, acompanhe com mais intensidade.

Toda transição é complexa, mas, se bem conduzida, pode tornar a empresa ainda mais bem sucedida.

Fonte: www.exame.abril.com.br

Veja Também

Interpretação da lei pode limitar aplicação da ref... A reforma trabalhista nem começou direito já há muita discussão sobre a aplicação da nova lei. No dia 11 de novembro, as mudanças na legislação trabal...
Consumidor pode cancelar serviços de teles automat... http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/07/1482102-consumidor-pode-cancelar-servicos-de-teles-automaticamente-a-partir-de-hoje.shtml
Receita Federal alerta empresas sobre falsos fisca... A Receita Federal do Brasil (RFB) alertou, por meio de nota, sobre falsos fiscais que se passam por servidores da RFB para abordar empresas. Essas pes...
Banco de horas: saiba por que sistema não agrada a... Desta forma, aquilo que inicialmente serviria para garantir o emprego do trabalhador passou a beneficiar apenas o empregador, que deixou de se preocup...
IRPF 2014: 6 passos para se livrar da declaração d... O Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC-SP) listou as principais providências que você já pode tomar para não deixar nada par...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta