Ter uma empresa vai muito além do que administrar um negócio, pois as responsabilidades das corporações perante a sociedade são cada vez mais amplas. No entanto, a relação entre empresa e sociedade é uma via de mão dupla, pois sempre gera benefícios tanto para a população, quanto para as empresas. A lei de incentivo a cultura é um exemplo. Você sabia que as empresas podem ganhar com o incentivo à cultura?

Criada no ano de 1991, a Lei Rouanet proporciona uma aliança entre cultura e negócios. Trata-se de uma lei federal que valoriza a emancipação da cultura na sociedade com a ajuda de empresas que se comprometem a propagar o desenvolvimento cultural.

Para ser enquadrado na lei, o projeto deve passar pela aprovação do Ministério da Cultura e posteriormente ser apresentado à Coordenação Geral do Mecenato e aprovado pela Comissão Nacional de Incentivo à Cultura. As empresas patrocinadoras dos projetos recebem incentivos fiscais, tendo abatimento de determinada porcentagem em seu imposto de renda.

E se para a empresa, a Lei Rouanet proporciona vantagens bastante favoráveis, para a sociedade de forma geral, a sua aplicação é ainda melhor. Conheça os principais benefícios da lei de incentivo a cultura:

– Facilita o acesso a cultura que é um direito de todo cidadão;

– Estimula as produções culturais e artísticas regionais e nacionais, valorizando conteúdos locais;

– Zela pela sobrevivência e aparecimento de novas expressões culturais na sociedade brasileira;

– Preserva os bens tanto materiais quanto imateriais do nosso patrimônio cultural e histórico;

– Ajuda a desenvolver a consciência e o respeito aos valores de outros povos e nações;

– Estimula o senso critico, trazendo mais conhecimento a sociedade;

via As empresas e o incentivo à cultura

Veja Também

O que um contador pode fazer pelo seu negócioO que... Por este motivo, a contratação de um contador acaba sendo uma fonte de informação para que o empreendimento cresça seguro. Afinal, os registros contáb...
Receita regulamenta tributação de remessas ao exte... As alterações valem para quantias remetidas ao exterior e destinadas ao pagamento de serviços de turismo A Receita Federal estabeleceu novas regras...
Bloco K e o xis do problema Antonio Corrêa de Lacerda* O excesso de burocracia é um dos inúmeros fatores que geram perda de competitividade na atividade produtiva brasileira. ...
Como negociar bem A segunda etapa é o contato inicial. Nesta etapa o negociador estará identificando os possíveis problemas e oportunidades existentes. Muitas vezes é o...
Refis da Crise: cronograma de parcelamento de débi... Negociação Aproximadamente 350 mil empresas que aderiram ao programa em 2009 deverão se apresentar à Receita Federal para negociar a forma de pagam...
Lei: 11941: Empresas devem indicar débitos a parce... – até 30 de junho: empresas sujeitas a acompanhamento econômico-tributário diferenciado e especial e aquelas que optaram pela tributação do Imposto de...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *