O juiz da 2º Vara do Trabalho, em Montes Claros, no Norte de Minas, usou a nova Lei Trabalhista para condenar o empregado de uma empresa de bebidas as custas do processo, além de multa de 5% sobre o valor corrigido da causa. Isso porque, de acordo com a sentença, ele agiu de ma-fé e mentiu no processo.

No processo, o funcionário da empresa alegou que era obrigado a vender 10 dias de suas férias anuais, podendo tirar apenas 20 dias de descanso. Porém, existia na Vara outro processo relacionado à mesma empresa em que outro funcionário acionava a Justiça pedindo diferenças salariais por ter substituído o autor da ação exatamente pelo prazo de 30 dias.

Na sentença, o juiz Sérgio Silveira Mourão destacou que os pedidos são incompatíveis entre si e apresentam versões diferentes sobre o mesmo tipo de situação. “A omissão referente ao exato período de férias, verificado no processo, constitui silêncio eloquente que desmascara a verdadeira intenção processual em buscar benefício indevido – o que não pode ser tolerado pelo Poder Judiciário”, escreve o juiz.

As duas causas apesar de terem sido apresentadas em momentos diferentes, foram feitas pelo mesmo advogado. Além disso, a empresa acusada da prática alegou nos autos que o funcionário ocupava cargo de confiança, o que ajudou a ter as demandas pedidas por ele indeferidas.

De acordo com o advogado Fernando de Castro Neves, sócio da Advocacia Castro Neves Dal, a novidade do caso é o juiz já usar a nova regra. “Uma novidade foi que a sentença entendeu pela aplicação imediata da Lei nº 13.467/17. Assim, de acordo com as novas regras, o magistrado decidiu condenar a parte autora no pagamento de honorários advocatícios, no importe de 15% sobre o valor que resultar da liquidação dos pedidos formulados pelo reclamante e que foram indeferidos”, completa o advogado.

Fonte: Em.com.br o maior portal de Minas Gerais

Veja Também

Como determinar a tributação de um produto? Além da grande quantidade de normas existentes, a sua inconstância é outro desafio que se impõe ao contribuinte. Dificilmente é possível afirmar que a...
A empresa pode proibir o uso de celular durante o ... A utilização inadequada do celular no ambiente de trabalho é um assunto que a cada dia ganha mais relevância, uma vez que o acesso às novas tecnologia...
Ampliação do Simples Nacional – simplificaçã... As primeiras regulamentações do Simples Nacional, ou Supersimples, já saíram, elucidando quais serão os impactos para os novos setores que poderão ade...
Cinco estratégias para tornar sua manhã mais produ... Você pode pensar os objetivos do seu dia já durante o banho Uma pesquisa realizada nos EUA apontou que o período da manhã é o mais estressante para...
O PAÍS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS A última veio com Instruções Normativas 1.277/12 e 1.281/12, que criou e implantou nova declaração para os prestadores de serviços que negociam com es...
MEI pode usar residência como sede do negócio Governo sanciona lei que permite que o endereço comercial do Microempreendedor Individual seja o mesmo de sua casa O Microempreendedor Individual (ME...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta