Selecionamos abaixo as principais operações que a Receita Federal fiscalizará nesse ano:

  • Sonegação envolvendo distribuição isenta de lucros;
  • Sonegação previdenciária por registro indevido de opção pelo Simples Nacional;
  • Contribuição Previdenciária incidente sobre a comercialização rural;
  • Desoneração da Folha de Pagamento: Estimativa de lançamento na ordem de R$460 milhões;
  • Compensação previdenciária com créditos inexistentes: GFIP;
  • Utilização indevida da alíquota do GILRAT em GFIP: Expectativa de R$430 milhões;
  • Falta de recolhimento de carnê-leão por profissionais liberais;
  • Omissão de Receitas com base em Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e): Foram préselecionados 2.338 contribuintes com indícios de irregularidade cujo montante
    global é superior a R$1,7 bilhão. A estratégia é iniciar os procedimentos em 168
    contribuintes ainda no primeiro semestre, os quais representam 40% do indício
    apontado;
  • Omissão de Receitas ou rendimentos a partir de indícios de movimentação financeira incompatível;
  • Lançamento Automático da DIRF x DARF – Junho/2017: Estão previstos
    procedimentos de lançamento automático para 4.000 contribuintes com valores em
    torno de R$200 milhões.

Outras operações:

  • Planejamentos tributários vinculados a eventos de reorganização societária com
    geração de ativos amortizáveis (ágios);
  • Planejamento tributário envolvendo fundos de investimentos em participações (FIP);
  • Tributação de resultados auferidos em controladas e coligadas no exterior;
  • Evasão nos setores de cigarros, bebidas e combustíveis;
  • Planejamento tributário envolvendo direito de imagem de profissionais;
  • Omissão no recolhimento de contribuição previdenciária: 6 grandes operações;
  • Aposentadorias especiais decorrente de riscos ambientais.

Fonte: Receita Federal

Veja Também

Empresas de serviços devem preparar adesão ao Simp... Desde o ano passado, o Simples Nacional foi ampliado para empresas de serviços e outros ramos, possibilitando a inclusão de 142 atividades no regime q...
Na reta final, Refis da Copa trava A menos de um mês do prazo final de adesão, o chamado Refis da Copa está fechado pois a Receita Federal não liberou o link para os contribuintes ofici...
Boleto vencido pode ser quitado em qualquer banco Boletos vencidos poderão ser pagos em qualquer banco. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) começa a adotar, de forma escalonada, uma plataforma...
Empregados temporários: cuidados para a contrataçã... 2 – Contratar temporários apenas em caso de necessidade transitória de substituição de pessoal regular e permanente ou acréscimo extraordinário de tra...
Acidente de trajeto e a reforma trabalhista Com a reforma trabalhista, há bons argumentos para defender que o acidente de trajeto não configura mais acidente de trabalho, nem que há obrigatori...
Por que manter um funcionário é tão caro no Brasil... Luft ressalta que, tomando o exemplo de uma empresa do setor de construção civil, o custo com o trabalhador pode chegar a 113,6%, englobando questões ...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta