Dentre as maiores preocupações na constituição de uma sociedade estão, sem dúvidas, os riscos e as responsabilidades assumidos pelos sócios, seja durante o exercício de suas atividades, bem como após sua saída dos quadros societários.

Uma das grandes discussões jurídicas existentes, até a entrada em vigor da Reforma Trabalhista, era com relação à responsabilidade trabalhista do sócio retirante, ou seja, daquele que não pertencia mais ao quadro societário da empresa quando os bens da sociedade e dos sócios atuais eram insuficientes para a garantia da execução e, via de consequência, para a satisfação do crédito do exequendo.

Sobre este prisma, é importante ressaltar que as responsabilizações de sócio após sua saída da sociedade, durante determinado tempo, podem ser diversas, como, por exemplo, assumir o pagamento de débitos trabalhistas, tributários, cíveis ou decorrentes de inadimplemento de obrigações com fornecedores, que poderão atingir até mesmo o seu patrimônio pessoal.

Com a entrada em vigor da Lei 13.467/2017 (a partir de 11.11.2017), a qual incluiu o art. 10-A da CLT, esta responsabilidade ficou definida da seguinte forma:

O sócio retirante responde subsidiariamente pelas obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao período em que figurou como sócio, somente em ações ajuizadas até dois anos depois de averbada a modificação do contrato na Junta Comercial, observada a seguinte ordem de preferência:

I – a empresa devedora;

II – os sócios atuais; e

III – os sócios retirantes.

O parágrafo único do citado artigo ainda dispõe que o sócio retirante responderá solidariamente com os demais, quando ficar comprovada fraude na alteração societária decorrente da modificação do contrato.

Fonte: Contadores

Veja Também

Para fechar as contas públicas, Estados compram pl... Murilo Rodrigues Alves - O Estado de S. Paulo Seguindo exemplo dos bancos, dez secretarias responsáveis por cuidar das finanças de Estados e do D...
Dúvidas sobre a modalidade de sua empresa? Veja ca... Se você ainda tem dúvidas, conheça os tipos dessas modalidades e veja em qual sua empresa se encaixa: Empreendedor Individual Assim como na EIRE...
Resolução de problemas Esta é uma das habilidades ... Em um mundo cada vez mais complexo e mutável, os profissionais e empresas precisam se adaptar para se manterem competitivos. Neste novo cenário corpo...
Certificado digital é obrigatório para a entrega d... A folha de pagamento digital, ou o eSocial, já está valendo desde janeiro de 2018 para mais de 14 mil empresas que possuem faturamento acima de R$ 78 ...
Contribuintes devem aproveitar este mês para gasto... Os planos de previdência privada também são uma boa alternativa para redução do valor do imposto devido, porém, nesse caso, há um limite legal de dedu...
TERCEIRIZAÇÃO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Especialistas sugerem avaliar prós e contras e observar encargos e responsabilidades trabalhistas que podem vir agregados aos serviços terceirizados...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta