Como uma empresa pode sobreviver se ela não recebe?

O mercado vive um momento de retração, com grande preocupação dos empresários em relação à capacidade de crescimento e investimento nos próximos meses. Com essa perspectiva no horizonte, é fundamental entender que a venda termina no recebimento.

Como uma empresa pode sobreviver se ela não recebe? Este pode ser considerado um dos grandes pontos fracos nas empresas, principalmente as pequenas e médias, pois quem não recebe não tem fluxo de caixa e contamina todos os outros setores da corporação.

Para empresas que já possuem uma estrutura completa o problema não é tão grande se não possuir as finanças em dias, como é o caso da grande maioria. O que fará a diferença entre crescer e fechar as portas é a capacidade de cobrar adequadamente.

Assim, por mais que possa parecer simples cobrar, isso não é a realidade, sendo necessária eficácia. Com práticas mais avançadas e um mercado cada vez maior, as renegociações das dívidas assumem novas metodologias que modernizaram o campo de crédito e cobrança, trazendo melhorias ao consumidor. Para Diogenes Barbosa, Instrutor do curso de Analista de Crédito e Cobrança da Innovia Training & Consulting, a maleabilidade dos empresários é necessária.

“Todas as formas de conciliação são positivas para o mercado de renegociação, pois contribui para o crescimento desse mercado e a profissionalização do mesmo, faz com que as empresas inseridas nesse mercado acabem inserindo novas tecnologias e mecanismos a fim de melhorar a performance nos índices de recuperação. Esse crescimento traz novos investimentos na criação de novas ferramentas, capacitação para os profissionais da área, melhoria na qualidade do serviço das empresas de recuperação, novos entrantes, novas tecnologias e principalmente a melhoria no consumo o que é o principal mecanismo de nossa economia”, afirma Barbosa.

Mas como as empresas devem fazer para cobrar estas dívidas? De acordo com o especialista, é preciso treinar o profissional. “Treiná-lo para a elaboração de rating de crédito de uma empresa, e assim identificar soluções negociais e jurídicas para o problema dos atrasos de pagamentos, desenvolver parâmetros e estratégias destinadas ao recebimento com menor custo e melhor ganho comercial e aprender as características operacionais e legais dos cheques e títulos de créditos”.

Barbosa acrescenta que além de profissionais qualificados, é necessário ferramentas adequadas de controle da inadimplência. “As empresas precisam de informações consistentes e que direcionem os tomadores de decisão a atuar com assertividade, dinamismo e agilidade. Quando as informações estão controladas por sistemas seguros e organizadas de forma estruturada, é possível elaborar relatórios gerenciais satisfatórios que proporcionam a análise dos dados, criação de indicadores e estudo para a definição das ações de cobrança da carteira”.

Segundo o especialista, atualmente há várias ferramentas para recuperação do crédito, como é o caso de campanhas esporádicas que tem como objetivo a recuperação em um período específico como o Natal, Dia das Mães etc. Também fazem parte acordos e renegociações pessoais e de dívidas pela internet, há ferramentas disponíveis no mercado em algumas instituições financeiras, bem como no Serasa. Além disso, são importantes os Feirões Limpa Nome, negociação massificada com o objetivo de conceder descontos aos devedores e reinseri-los novamente no grupo de potenciais tomadores de crédito.

A não observância destas mudanças fará com que os índices de inadimplência continuem crescendo. Cada vez mais são necessárias as inclusões de técnicas de vendas também para cobrar, inovando com o marketing na cobrança. São vários os exemplos que podem ser utilizados, mas o importante é sempre conquistar, encantar, seduzir e criar comprometimento do devedor de hoje, que pode voltar a ser amanhã um consumidor consciente.

Fonte: Administradores.com.br – 04/06/2014

Veja Também

Simplificação do registro mercantil (Valor Econômi... Sabe-se que para as empresas participarem de licitações públicas é necessária a apresentação de uma série de documentos, dentre os quais se encontra o...
Empresas pequenas só têm este mês para implementar... Segundo a Receita, a partir de 1º de janeiro de 2017, negócios tributados pelo Simples com mais três de funcionários terão que adotar assinatura digit...
Receita Federal notifica devedores do Simples Naci... No dia 12, foi disponibilizados, no Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional (DTE-SN), os Atos Declaratórios Executivos – ADE, que notifica...
Faturamento x lucro: diferença que você precisa en... Os administradores ou sócios das empresas estão, a princípio, em busca de uma lucratividade sempre maior. Porém, é comum observarmos que, normalmente,...
Alckmin amplia benefício de isenção de IPVA para p... ​​O governador Geraldo Alckmin assinou nesta segunda-feira (9/10), em evento no Palácio dos Bandeirantes, decreto que regulamenta a Lei nº 16.498/2017...
Receita reabrirá prazo para inclusão de débitos no... Uma empresa paulista do setor de lavanderia industrial é uma das que tiveram pedidos analisados pelo Fisco. Ela ingressou com uma ação na Justiça e ob...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta