1) Evitar vínculo com as pessoas – Não ter a preocupação com lado humano das pessoas é a principal falha de um líder. É preciso criar laços com os profissionais para compreender o que os motiva. Isso é um trabalho que deve ser feito o tempo todo.

2) Confundir liderança com gerência – Para exercer a liderança, é fundamental envolver todos os colaboradores para atingir o resultado almejado, aplicando motivação, incentivo, apoio e acompanhamento. Ao gerente cabe a responsabilidade específica de imputar, administrar e cobrar resultados sob as atividades da empresa.

3) Não ser acessível – Engana-se aquele que acha certo ficar isolado numa sala e ficar delegando as atividades, sem ouvir o que a equipe tem a dizer. Para conseguir os objetivos, é necessário ter vários canais de comunicação, a fim de auxiliar todos nas tarefas.

4) Ocultar o desempenho de seus liderados ofuscando a eficácia – O profissional destaca-se por uma tarefa ou quando propõe uma solução, mas acaba não tendo o reconhecimento pelo seu mérito. Isso demonstra a insegurança do líder ao lidar com o sucesso de outra pessoa. Na verdade deveria ser o contrário, já que o bom desempenho da equipe reflete no trabalho realizado pelo ‘chefe’.

5) Não entender a questão ‘emoção’ – O colaborador é um ser humano que está sujeito a ter problemas. Um líder frio, que não entende esse lado, está fadado ao fracasso. É preciso colocar-se na situação da pessoa para encontrar juntos uma solução.

6) Não motivar nem inspirar ou fazer isso de forma equivocada – De nada adianta o coordenador da equipe passar uma imagem nada condizente com a função. Na verdade, o líder deve ser um exemplo para inspirar outras pessoas a seguirem o mesmo caminho.

7) Não ter a percepção do momento em que deve haver mudanças – É comum haver resistência quando há uma alteração, seja ela estratégica, comportamental ou de atitude. Nesse caso, cabe ao líder estimular os funcionários a acreditarem que as mudanças são fundamentais para o crescimento da organização.

8) Desencorajar os outros e não saber correr riscos – Desestimular a equipe é sinônimo de quem não quer jogar para ganhar. O bom líder é aquele que estimula seus funcionários a saírem da zona de conforto para que juntos alcancem as metas pretendidas ainda que isto implique em correr alguns riscos. ‘O pulo do gato’ é saber mensurar e ponderar esses riscos transformando-os em diferenciais para o sucesso.

9) Promover conflitos ou não saber administrá-los – Provocar a discórdia na equipe significa que haverá falta de sincronismo em torno de um objetivo comum. Nesse caso, cabe ao líder o papel de solucionar os conflitos proporcionando um ambiente de trabalho tranquilo e harmonioso e desenvolver profissionais vencedores.

10) Ser omisso no desenvolvimento do colaborador – Não priorizar as necessidades do liderado como ser humano, não observando suas competências. É preciso entender que estimular a capacitação dos profissionais é essencial para atingir os resultados. Quando um líder tem essa percepção, abre o caminho para lapidar novos talentos.

Essas dicas, diz o consultor, são importantes para conduzir uma equipe de sucesso, porém, é preciso adaptá-las conforme as necessidades do ambiente corporativo. “O líder precisa ser humilde, observar, ser verdadeiro consigo mesmo, identificar seus limites e com ética superá-los. Liderar não é somente gerenciar, é quase um estado de espírito, é ser compartilhador, transferidor, ou seja, é a habilidade de entender e de ser entendido”, ressalta Ararê.

Veja Também

Os 3 capitais essenciais de uma empresa de sucesso Fala-se muito em inovação, mas resiste-se às mudanças, verbalizamos a importância das pessoas e do clima na empresa, mas continuamos presenciando uma ...
EFD – Pis/Cofins: obrigação acessória faz em... "O que a maioria dos empresários e gestores ainda não sabe é que a EFD-Pis/Cofins causará grandes mudanças nas rotinas ficais e contábeis das empresas...
Como Contratar Trabalhador Autônomo – Sebrae... O que é necessário para contratar um trabalhador autônomo? Muitos empresários possuem dúvidas com relação à contratação de trabalhadores autônomos ...
Prazo extra para entrar no eSocial Os profissionais da contabilidade são peças-chave no processo de entendimento da nova ferramenta, mas não são os únicos. Desta vez, diferentemente do ...
A importância do planejamento tributário para o de... A atual crise vivida no país tem afetado em menor escala micros e pequenas empresas, mesmo assim o impacto gerado por essas empresas na economia são m...
Setor industrial aguarda decisão sobre desoneração... THAIS CARRANÇA A indústria brasileira aguarda para esta semana um posicionamento da presidente Dilma Rousseff sobre a continuidade da política de d...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta