O Programa Brasil Mais Produtivo aumentou a produtividade das empresas atendidas pela iniciativa em 51%, em média. Os resultados acumulados até o fim de agosto mostram o sucesso do programa, cuja meta inicial era aumentar em 20% a produtividade das indústrias com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto.

De acordo com dados da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), responsável pela gestão do Brasil Mais Produtivo, até agosto, 1.224 atendimentos foram concluídos e outros 1.747 estão em execução. A maioria (360) das empresas que receberam consultoria do programa é da Região Sul. Outras 353 são da Região Sudeste e 219 delas estão no Nordeste. Empresas das regiões Centro-Oeste (213) e Norte (79) também estão no programa.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira, lançou o programa em 15 unidades da Federação, mas as atividades do programa ocorrem em todo o País.

Com um investimento aproximado de R$ 50 milhões, a primeira fase do projeto, que contempla três mil empresas e vai até o final deste ano, prevê a intervenção no nível intrafirma e se destina ao aumento de produtividade por meio da utilização de técnicas de manufatura enxuta, baseadas na redução dos sete desperdícios mais comuns que ocorrem no processo produtivo: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos.

As empresas atendidas relatam que reduziram, em média, 56% o deslocamento desnecessário por meio da reorganização de processos e layouts, priorizando as atividades que agregam valor. Elas também tiveram índices de 58% de redução de rejeitos e descarte de materiais decorrentes de falhas de processamento durante o processo de fabricação. Além da redução da movimentação do trabalho e do retrabalho, os resultados preliminares evidenciam o baixo tempo de retorno do valor investido, cuja média está em quatro meses.

O programa

O Brasil Mais Produtivo é uma iniciativa do governo federal que tem o objetivo de aumentar a produtividade em processos de empresas industriais, com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto. O programa é coordenado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), ABDI e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é parceiro e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) participa apoiando a iniciativa.

O projeto consiste na realização de consultoria tecnológica in loco, de 120 horas por empresa, para elaboração de diagnóstico de processos, propostas de melhorias para obter ganhos de produtividade, redução no custo de produção e monitoramento de implementação e resultados. O total investido em cada empresa é de R$ 18 mil – destes, R$ 15 mil aportados pelos realizadores do programa.

Fonte: Portal Brasil

Veja Também

Receita tem nova versão do programa para quem não ... O novo programa é diferente, pois já calcula o valor da multa pelo atraso na entrega. Assim, o contribuinte que não cumpriu com a obrigação fiscal den...
Seu RG já tem 10 anos? Ele pode não ser mais aceit... Você sabia que se seu documento de identidade, o RG, tiver mais de 10 anos ele pode não ser aceito em serviços bancários e prejudicar, inclusive, a aq...
Fique de olho, empregador! Cuidados ao colocar em prática o banco de horas Por José Daniel Gatti Vergna* Semana passada, o Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO)...
Brasil tem o maior nível de encargos e direitos tr... Custo médio para as empresas chega a 71,4% sobre salário O custo da mão de obra no Brasil é o maior entre 90 países. Ao contratar um profissional...
Até 2020, 55% dos empregos existentes hoje serão e... Nova economia, com base na inovação tecnológica, vai mudar o atual mercado de trabalho A economia vive hoje momentos não só de crise, mas de transf...
Atenção às novidades na hora de declarar o IR Caso houvesse a obrigação, entretanto, ele teria que passar por uma adaptação, já que pela primeira vez o Imposto de Renda deve ser declarado exclusiv...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta