Fonte: TRT/RJ – 10/06/2014 – Adaptado pelo Guia Trabalhista

A 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT/RJ), por unanimidade, manteve sentença que desconsiderou pedido de diferença salarial de empregado que alegou, na Justiça do Trabalho, acúmulo de funções.

Ele exercia a função de montador e dirigia um dos automóveis da empresa de Montagem de Esquadrias.

Analisando o direito em si, o relator do acórdão, desembargador Gustavo Tadeu Alkmim, considerou que o exercício de atividades diversas compatíveis com a condição pessoal do trabalhador e dentro do jus variandi (poder diretivo) da empresa não enseja o pagamento de diferenças salariais por acúmulo de funções.

No caso, o próprio salário pactuado remuneraria todas as tarefas desempenhadas dentro da jornada de trabalho.

Para fundamentar sua decisão, o relator valeu-se de entendimento do Tribunal Superior do Trabalho (TST), conforme recurso de revista publicado em agosto de 2009:

“O acúmulo de funções, por si só, não gera direito a outro salário ou ao recebimento de diferenças salariais (plus). O salário fixado pelo empregador no ato da contratação é uma contraprestação do serviço prestado pelo trabalhador, qualquer que seja a modalidade do trabalho.

Logo, o salário serve para remunerar o serviço para o qual o empregado foi contratado, e não o exercício de cada função ou atividade que este venha a exercer (RR-14980/2000-006-09-00, 5ª Turma, Relatora Ministra Kátia Magalhães Arruda, DJ 21/8/2009)”.

Apesar de ter seu pedido de diferença salarial negado, o empregado conseguiu provimento parcial do recurso ordinário, obtendo a reforma da sentença em outro pleito: a integração de valores pagos por fora a título de comissões no seu salário.

Nas decisões proferidas pela Justiça do Trabalho, são admissíveis os recursos enumerados no art. 893 da CLT. Processo (0001596-94.2011.5.01.0029).

Fonte: TRT/RJ – 10/06/2014 –

Veja Também

Corte de custos: 7 dicas do especialista Crise. Quem empreende -ou vive no meio de empreendedores- sabe que há meses não se fala em outra coisa. É lamento de um lado, raiva do outro, medo e m...
Sua empresa dará férias coletivas? Atente-se ao prazo para o início das férias com as mudanças trazidas pela Reforma trabalhista A CLT (art 139)  dispõe que as férias coletivas...
E-Financeira e a nudez do contribuinte Entenda por que a sonegação no Brasil pode estar com os dias contados A Receita Federal vem, nos últimos anos, apertando o cerco contra os contribu...
19 despesas para deduzir do Imposto de Renda SÃO PAULO, 11 DE MARÇO DE 2016 ÀS 19:00 POR REJANE TAMOTO Mas saiba também o que não pode ser abatido na declaração, que leva muitos contribuintes pa...
Pessoa jurídica poderá ser titular de Eireli Na terça-feira retrasada (02/05) começou a valer os novos procedimentos criados pelo Departamento de Registro Empresarial e Integração (Drei) com a in...
Como expandir uma rede no varejo: pelo simples, re... Permanecer neste regime de tributação é aparentemente interessante e lucrativo, portanto, torna-se natural a tendência da abertura de novas lojas util...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta