Assim, as empresas que encerram seus respectivos exercícios sociais em 31 de dezembro têm até o final de abril do ano seguinte para examinarem e aprovarem (ou não) suas contas.

Não é novidade para as empresas que, nos termos do Código Civil e da lei das S/A, nos 4 primeiros meses seguintes ao término do exercício social os sócios, no caso de Sociedade Limitada (ltda), ou acionistas, no caso de Sociedade por Ações (S/A), devem examinar e aprovar (ou não) as contas dos administradores, Balanço Patrimonial e Demonstrações Financeiras.

Apesar de ser uma obrigação, mas sem previsão legal de sanção pecuniária, muitas Sociedades limitadas e Sociedades por Ações de capital fechado acabam deixando de lado as providências acima.

No entanto, a ausência de reunião de sócios ou assembleia de acionistas para esta finalidade pode prejudicar operações envolvendo a empresa, como, por exemplo, participar de licitações e tomar empréstimos bancários, que, em geral, dependem da apresentação da ata de aprovação registrada na Junta Comercial.

Outro ponto que vale destacar é que para os administradores, diretores e membros do conselho fiscal, é de suma importância a realização anual da reunião ou assembleia para deliberar sobre as contas, balanço patrimonial e demonstrações financeiras, referentes ao exercício findo. Referida aprovação lhes dará segurança em relação aos atos praticados durante o exercício social findo, de modo a exonerá-los de eventual responsabilização, ressalvado os casos de erro, dolo ou simulação.

A aprovação das contas, além de dar segurança para os administradores, diretores e membros do conselho, fiscal traz maior transparência aos sócios e acionistas para o esclarecimento de dúvidas, identificação dos resultados, informações contábeis e eventuais irregularidades que possam existir na atuação dos responsáveis durante aquele exercício.

Assim, as empresas que encerram seus respectivos exercícios sociais em 31 de dezembro têm até o final de abril do ano seguinte para examinarem e aprovarem (ou não) suas contas. Para tanto, é importante que as empresas estejam atentas à elaboração tempestiva das contas e demonstrações financeiras do ano anterior, às formalidades necessárias à convocação e realização das Reuniões e Assembleias; à formalização em ata das deliberações, etc, etc, tudo para evitar exigências pelas Juntas Comerciais e irregularidades que possam desencadear questionamentos futuros.

Fonte : Migalhas Por Aryane Braga Costruba

Veja Também

Planejamento é fundamental para o sucesso empresar... É indiscutível dizer que este ano foi dificílimo para todos os brasileiros, pessoas físicas e jurídicas. A boa notícia é que 2016 está chegando ao fim...
Cinco coisas que, provavelmente, você faz e são pr... Mude sua rotina e melhore seu desempenho Todos os dias, milhares de profissionais cometem uma série de erros que podem prejudicar a produtividade n...
A importância das demonstrações contábeis na gestã... 1.Introdução De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE (2014), as micro e pequenas empresas (MPEs) são um d...
Receita muda estratégia e pequenas empresas devem ... São Paulo – A Receita Federal mudará a estratégia de atuação nos próximos cinco anos, de modo a se aproximar dos contribuintes e orientar no cumprimen...
Fique atento ao declarar as despesas médicas a fim... A dedução de despesas médicas na Declaração de Ajuste somente poderá ser efetuada pelo contribuinte que optar pela utilização das deduções legais, ou ...
Como aplicar no Tesouro Direto Com baixo risco e rendimento atraente, o investimento é o preferido dos conservadores para se proteger da crise por Mariana Queiroz Barboza (marian...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta