O reajuste salarial é um aumento anual obrigatório que deve ser repassado pelas empresas.

O reajuste salarial é um aumento anual obrigatório pago aos trabalhadores todos os anos, definido por um acordo firmado entre profissionais e os respectivos sindicatos seguindo a Convenção Coletiva de Trabalho.

Ele é estipulado de acordo com o índice do  Sindicato representativo da categoria econômica e profissional com o objetivo de preservar o poder de compra dos trabalhadores com carteira assinada em relação a inflação de cada ano.

Quem pode receber

Todos os trabalhadores que trabalham em regime CLT tem direito ao reajuste. A única exceção à regra seria com relação ao empregado hipersuficiente, ou seja, que recebe acima do dobro do valor teto da previdência, o que equivale a um salário igual ou maior que R$ 11.062,62. Neste caso, o acordo de reajuste salarial anual e outras questões dessa natureza podem ser acordados diretamente com a empresa.

De acordo com a Dra. Camila Cruz, sócia do escritório Mascaro e Nascimento Advogados, o que ficar acertado entre o empregado e empregador valerá acima do que for estabelecido por acordo coletivo ou convenção da categoria do empregado.

Quando receber

Definido o percentual do reajuste salarial, as empresas precisam calcular o valor do novo salário e efetuar o pagamento retroativo a data base, ou seja, quando passa a valer as condições celebradas no acordo ou convenção coletiva.

De acordo com Camila, o que varia de uma categoria profissional para outra é o mês definido no acordo ou convenção, já que a data-base é sempre no 1º dia do mês referente. “Logo, se para um empregado ficou definido que a data-base será em outubro, por exemplo, significa que as definições e reajuste salarial passarão a contar a partir do dia 1º de outubro”, afirma.

As eventuais diferenças não pagas, da data base à data de publicação da nova convenção ou acordo coletivo, devem ser repassadas aos empregados, sob risco ações trabalhistas.

Sindicatos

De acordo com Camila Cruz, os trabalhadores não precisam estar filiados a Sindicatos para terem direito ao reajuste salarial na data base da categoria.

“Todos os trabalhadores da categoria devem ser representados pelo sindicato, sejam filiados ou não e mesmo que não contribuam terão direito ao reajuste salarial anual para perda inflacionária”, explica a advogada.

Portanto, o sindicato não pode excluir o empregado de receber o reajuste salarial por exercer seu direito de oposição.

Os empregados que eventualmente já tenham assinado carta abrindo mão dos direitos, poderão pedir na Justiça do Trabalho o mesmo aumento dado à categoria a qual pertence.

Como consultar

Segundo o princípio da territorialidade, as convenções coletivas aplicáveis são a do local da prestação de serviço do empregado. Em razão do custo de vida de cada localidade, os reajustes podem variar de Estado para Estado.

As convenções e acordos coletivos podem ser consultados no Sistema  Mediador da SRT – Secretaria de Relações do Trabalho.

Fonte: PORTAL CONTÁBEIS

Veja Também

10 aplicativos que todo administrador deve conhece... Conheça ferramentas que podem ajudar você e sua empresa a melhorar a produtividade e agilizar o trabalho de sua equipe Que os celulares inteligent...
Receita paga hoje segundo lote de restituição do I... A Receita Federal paga hoje (15) o crédito referente ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2014. Serão contemplados 1.060.4...
Parcelamento especial da Lei nº 11.941/2009 pode s... A Receita Federal do Brasil alerta que somente até o dia 31/3 será possível fazer esses procedimentos, após esse período não será mais possível realiz...
Regras de fiscalização da contratação de aprendize... Esse contrato deve ser pactuado por escrito e por prazo de até dois anos, exceto quando tratar-se de aprendiz com deficiência. Para a sua validade exi...
10 passos para organizar as finanças em caso de de... Frente ao crescimento assustador dos índices de desemprego, é imprescindível falar sobre como o brasileiro deve agir, caso esse problema o atinja. Pro...
Débitos impedem entrada de empresas no Simples Nac... Na avaliação do gerente de políticas públicas do Sebrae, Bruno Quick, o problema evidencia as dificuldades vividas pelas micro e pequenas empresas, ag...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta