Foi publicada, em edição extra do Diário Oficial de 22/6, a Lei 13.137/2015, resultante do projeto de lei de conversão da Medida Provisória 668/2015, que, entre outras disposições, reduz o limite para dispensa de retenção da CSLL, do PIS/Pasep e da Cofins nos pagamentos efetuados pelas pessoas jurídicas a outras pessoas jurídicas de direito privado, pela prestação de serviços de que trata o artigo 30 da Lei 10.833/2003. A partir da publicação da Lei 13.137, fica dispensada a retenção quando o valor desta for igual ou inferior a R$ 10,00, exceto na hipótese de DARF eletrônico.

A Lei altera também os prazos para recolhimento dos valores das contribuições federais retidas no mês,  na forma do artigo 30 da Lei 10.833/2003, para até o último dia útil do segundo decêndio do mês subsequente àquele mês em que tiver ocorrido o pagamento à pessoa jurídica prestadora do serviço.

Comentário:  Antes o limite mínimo para essa retenção era de  R$5.000,00, agora na nova regra o limite mínimo passou para R$10,00. Agora uma nota de  R$215,50 já é obrigatório essa retenção, pois se pegarmos esse valor e multiplicarmos pelos 4,65% temos R$10,02 de retenção. Quanto ao IRRF, continua a mesma REGRA, limite mínimo de R$667,00 para se fazer essa retenção. Vencimento é até dia 20 do mês subsequente ao pagamento da fornecedora de serviços.  Serviços prestados à pessoa física não há retenção.

 

Fonte: Coad / Jota Contábil

Veja Também

ENTENDA QUAIS SÃO OS IMPACTOS DA LGPD PARA AS EMPR... A Lei de Proteção de Dados entra em vigor em 2020 e as empresas devem se preparar para não sofrer com penalidades. A LGPD, que estabelece diretriz...
Governo ainda não decidiu se tabela do IR será cor... Sem correção há mais de 1 ano, tabela do IR acumula defasagem de 83% desde 1996, segundo Sindifisco. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afi...
Folga concedida depois de sete dias de serviço ser... A jurisprudência do TST prevê a remuneração em dobro do repouso semanal nesse caso. A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho condenou as Loj...
Acidente de trajeto e a reforma trabalhista Com a reforma trabalhista, há bons argumentos para defender que o acidente de trajeto não configura mais acidente de trabalho, nem que há obrigatori...
Saiba como declarar imóveis no Imposto de Renda Qualquer aquisição feita em 2013 deverá ser informada à Receita Federal. O lançamento no formulário deve ser feito com detalhes específicos da negocia...
Os riscos trabalhistas do representante comercial Um tema que vem causando grande preocupação aos empresários nos dias de hoje, diz respeito à relação de sua empresa com seu Representante Comercial e ...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta