Começar o próprio negócio pode ser um processo desafiador, e os empresários enfrentam diversas dificuldades para tirar a ideia do papel, como conquistar a clientela, conseguir parcerias e obter capital. Quem quer empreender precisa desenvolver algumas características e habilidades para se dar bem no mundo dos negócios.

Fabrício Morini empreende há 15 anos, é criador da escola de aviação Morini Air e vai lançar em outubro o livro Faça Seu Negócio Decolar, em que conta histórias de inspiração de empresários e dá dicas. Para ele, o empreendedor, antes de tudo, precisa ser um bom vendedor: “O primeiro desafio é fazer as pessoas acreditarem na sua ideia. É preciso saber fazer as pessoas apostarem em você e no que sua marca representa”, afirma Morini.

Esse foi de fato o primeiro desafio de Zé Pimenta, só cio-fundador da loja Euzaria. A marca trabalha com um conceito de “slow fashion”, que busca uma produção mais lenta e ética com os trabalhadores, portanto lança coleções novas com menor frequência e pode ter preços altos. “Estar dentro dos shoppings é desafiador para a gente, pois os consumidores não estão acostumados a consumir dessa forma. É comum buscar pelo menor preço, mas para vender uma camisa de R$ 19,99 algum trabalhador sempre sai prejudicado”, conta Pimenta.

Para atrair clientes foi preciso vender a ideia da marca, que se inspira no capitalismo consciente, e começou doando uma camiseta para cada camiseta vendida. “Já trabalhei com publicidade, e antes de começar a vender usamos teasers com frases como: ‘Se a gente te desse amor, vc usaria?’. As pessoas foram comprando a ideia sem saber qual era o produto”, explica.

Um ponto importante da experiência da loja é que ela possui valores que gostaria de levar para o público, e essa é uma dica que Pimenta dá para quem quer empreender: “É preciso pensar no seu propósito, se perguntar ‘o que eu vou gerar de valor para as pessoas?’, e expressar isso no projeto”, compartilha. Mas, para colocar a mão na massa e pôr esse ideal em prática, o empreendedor precisa saber ser paciente.

“A ansiedade é uma grande ameaça, pois o empreendedor deixa de cumprir etapas, não usa bem o capital de giro e não sabe esperar pelos resultados”, alerta Fabrício Barreto, consultor do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. É preciso também saber fazer um bom plano de negócios: “O empresário precisa saber reunir informações e dados para criar um projeto que seja viável. É isso que vai possibilitar o crédito, tanto para quem busca os bancos para um empréstimo quanto para quem quer atrair investidores”, conta.

Formando conexões

Outra habilidade importante para os empreendedores é saber fazer networking e se conectar com potenciais parceiros de negócios. “É preciso estar do lado de pessoas que nos agregam e são importantes na área. Pense nas pessoas que te inspiram e se aproxime delas”, aconselha Fabrício Morini.

Para fazer contato com possíveis parceiros, além de procurar estar nos lugares que as pessoas do meio frequentavam, ele enviou e-mails para pessoas que o inspiravam. “Li um livro do Guy Kasawaki que gostei muito e, depois de 20 e-mails, consegui uma reunião. Hoje somos amigos e parceiros de negócios”, conta.

O que fazer para iniciar um negócio?

Venda a ideia – Para conquistar clientes e investidores, é preciso saber apresentar uma ideia e fazer com que as pessoas acreditem na sua empresa

Gere valor – Negócios que refletem a visão dos donos e propõem novas formas de consumo e serviços inovadores têm um diferencial

Tenha um bom plano – Sem um bom plano de negócios vai ser difícil obter crédito para o negócio. Ter um projeto consistente e dados realistas conta pontos positivos para bancos e investidores

Faça cursos – O Sebrae oferece o programa Empretec, com 60h de conteúdo para quem quer empreender. As inscrições podem ser feitas no site do Sebrae ou pelo 0800 570 0800

Tenha paciência – É preciso tempo para se posicionar no mercado e obter retorno dos investimentos. O empresário precisa estar preparado para esperar que os frutos do trabalho se mostrem

Saiba quando mudar – Saber esperar os resultados é importante, mas não adianta insistir em um plano que não está funcionando. É preciso saber avaliar quando o retorno não está sendo satisfatório e é hora de tentar outro caminho

Fonte: A tarde

Veja Também

Reduzido o limite de dispensa de retenção de contr... Foi publicada, em edição extra do Diário Oficial de 22/6, a Lei 13.137/2015, resultante do projeto de lei de conversão da Medida Provisória 668/2015, ...
12 Maneiras de evitar erros na sua startup Se você quiser iniciar uma animada discussão entre um grupo de empreendedores, tudo o que você precisa fazer é um simples pedido: “Conte-me sobre seu...
Novo ponto eletrônico é adiado pela quinta vez A implantação do novo ponto eletrônico deverá ser a partir de 2 de abril de 2012 para as empresas que exploram atividades na indústria, no comércio em...
Atenção para Golpistas na Área Tributária O alerta de nossa equipe é que somente podem ser compensados tributos federais mediante os parâmetros indicados na Lei 9.430/1996 e na Lei 11.457/2007...
CARF ACEITA EXCLUIR ICMS DO PIS E DA COFINS Duas decisões do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) determinaram a exclusão do ICMS do cálculo do PIS e da Cofins. Para tributaris...
Obrigações acessórias elevam custos das companhias... Em poucos lugares do mundo elas são tantas e tão vorazes, exigindo as mesmas informações em formatos distintos kléber gutierrez Quando ouvimos f...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *