Os administradores ou sócios das empresas estão, a princípio, em busca de uma lucratividade sempre maior. Porém, é comum observarmos que, normalmente, a preocupação está focada somente no crescimento do faturamento, o que é um erro muito sério e que, provavelmente, impactará de forma negativa na continuidade da empresa.

Uma empresa tem como função principal gerar riquezas para todas as partes envolvidas, sejam elas funcionários, sócios, clientes, governo, fornecedores. Quando uma empresa não consegue ser sustentável, ou seja, pagar as próprias contas, ela passa a gerar pobreza para toda essa cadeia, causando prejuízos a todos os envolvidos.

Por isso, é de suma importância que a empresa tenha um conhecimento detalhado de seu faturamento e também dos seus custos e despesas, podendo, assim, enxergar seu verdadeiro lucro ou prejuízo. Essa informação do resultado atingido ou projetado pela empresa é demonstrada em um relatório denominado Demonstrativo de Resultado. O profissional da contabilidade é conhecedor desse relatório e poderá contribuir muito na sua construção, possibilitando, assim, aos gestores e demais interessados conhecer com clareza se a empresa apresenta lucro ou prejuízo.

Não dá para administrar uma empresa sem a informação do resultado que ela gera para poder tomar decisões de comprar ou vender mais ou, por exemplo, fazer novos investimentos. Todas as empresas precisam dessa informação. Não importa se é uma pequena empresa que fatura cinco mil reais por mês ou uma grande que fatura cem mil.

Outra ferramenta muito importante é o relatório que demonstra o movimento do dinheiro na empresa, que é chamado de Fluxo de Caixa. Nesse relatório pode ser identificado de onde vem o dinheiro da empresa e em que está sendo aplicado.

Com esses dois relatórios será possível saber se uma empresa apresenta lucro ou prejuízo e se a origem do dinheiro que a mantém está em suas vendas ou em empréstimos, por exemplo. A matemática é simples: faturamento maior do que seus custos e despesas é o que irá gerar lucros. O contrário irá gerar prejuízos.

Dependendo o ramo de atividade a empresa poderá ter maior percentual de lucro em relação a seu faturamento ou menor. Existem setores com 3%, outros com 10% ou 15%, o resultado é variável de acordo com o ramo de atividade, depende também da capacidade dos gestores em aumentar seu faturamento e reduzir suas despesas e custos e de outros fatores externos que podem comprometer a lucratividade das empresas por um período.

Paulo Felicioni – Mestre em Contabilidade e Finanças e diretor executivo da Gumz Contabilidade, de Jaraguá do Sul/SC​.

Veja Também

Avaliação de Empresas – e a importância da C... Por alguma razão que a ciência deve explicar, algumas cenas ficam marcadas na nossa memória, mesmo que as tenhamos presenciado de forma circunstancial...
A importância do conhecimento contábil para a gest...  contabilidade certamente nasceu da necessidade de conhecimento que alguém, possuindo patrimônio, precisava ter, para controlá-lo e, principalme...
Novas oportunidades para parcelamento de débitos t... Os débitos que podem ser incluídos em tal parcelamento geral são aqueles vencidos até 30 de novembro de 2008, administrados pela Receita Federal do Br...
Terceirização passada a limpo Há poucas semanas, uma dúvida que pairava há anos sobre as empresas brasileiras finalmente chegou ao fim. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu...
Contratação de familiares e de amigos pode dificul... Segundo o executivo, a prática pode trazer prejuízos quando o profissional não tem qualificação suficiente ou quando mistura a relação pessoal com a d...
Tributação de dividendos é isenta – Ilegalid... Tornou-se imperativo utilizar um modelo contábil comum de forma a harmonizar as demonstrações financeiras publicadas, assegurando que a informação div...

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta